quinta-feira, 9 de outubro de 2008

.
.
Doença de Graves
.
.
.

Causa mais comum de tireotoxicose, a Doença de Graves é um distúrbio auto-imune, mais comum em mulheres, com incidência etária máxima entre 20 e 40 anos.
.
Características:
Uma ou mais das seguintes características estão presentes:
(1) Bócio ( conhecido popularmente como "papo", é o aumento do volume da tireóide);
(2) Tireotoxicose ( síndrome clínica que resulta quando os tecidos são expostos a altas doses de hormônios tireoidianos circulantes );
(3) Doença ocular, que varia desde lacrimejamento a proptose, paralisia dos músculos extra-oculares e perda da visão devido ao comprometimento do nervo óptico;
(4) Dermopatia tireóidea, em geral se apresentando como espessamento cutâneo intenso, sem cacifo, numa distribuição pré-tibial ( mixedema pré-tibial)
.
.
.
.
Manifestações Clínicas ( Sinais e Sintomas ):
.

.

Nervosismo - 99%
Aumento da sudorese - 91%
Hipersensibilidade ao calor - 89%
Palpitações - 89%
Fadiga - 88%
Perda ponderal - 85%
Dispnéia - 75%
Fraqueza - 70%
Aumento do apetite - 65%
Queixas oculares - 54%
Tumefação das pernas - 35%
Diarréia - 23%
Anorexia - 9%
.
Manifestações Comuns da Tireotoxicose:
.
Taquicardia - 100%
Bócio - 100%
Alterações cutâneas - 97%
Tremor - 97%
Tireóide - 77%
Sinais oculares - 71%
Fibrilação atrial - 10%
Esplenomegalia - 10%
Ginecomastia - 10%
Palma hepática - 8%
.
.

.
Hipertireodismo Apático:

Pacientes de mais idade não exibem as manifestações clínicas plenas da tireotoxicose - podem ter um afeto embotado, labilidade emocional, perda de peso, fraqueza muscular ou insuficiência cardíaca congestiva e fibrilação atrial refratária ao tratamento habitual.
.
Diagnóstico:
.
Pelo exame clínico, juntamente com a anamnese ( história do paciente) - sinais e sintomas já citados
THS suprimido, T4 livre elevado, Anticorpos antitireoidianos, Ultra-sonografia da tireóide

Tratamento:

(1) Drogas Antitireóide: Tiocarbamidas ( tionamidas) - propiltiouracil, metimazol e carbimazol

Efeitos Colaterais das Tiocarbamidas:

Prurido e exantema (5%), icterícia colestática, artralgia aguda, ou raramente agranulocitose ( 0,5% dos pacientes - cujos sintomas iniciais podem ser febre e dor de garganta)

(2) Iodo Radioativo ( I131 ) - é provavelmente o tratamento de escolha em adultos com Doença de Graves.

(3) Cirurgia - a tireoidectomia subtotal é o tratamento de escolha para os pacientes com glândula tireóide muito grande e sintomas obstrutivos, ou glândulas multinodulares, ou para as pacientes que desejam engravidar no ano seguinte.

(4)Propranolol - O propranolol, por seus efeitos beta-bloqueadores adrenérgicos, é extremamente útil no controle das manifestações cardiovasculares, o que é conseguido com dose de 60 a 200 mg diárias. Seu uso está contra-indicado nos asmáticos e portadores de bloqueios atrioventriculares.

(5)Digitálico - continua sendo um importante agente no controle da fibrilação atrial do hipertireoidismo. As doses empregadas deverão ser maiores que as habituais, por haver alto metabolismo. O propranolol em doses baixas age cinergicamente com o digital no intuito de retardar a condução atrioventricular, sem produzir grande depressão da contractilidade miocárdica.

Mesmo ocorrendo a remissão da doença, os pacientes com Doença de Graves devem ter acompanhamentos clínico e laboratorial periódicos. A retirada precoce dos medicamentos geralmente acarreta o recrudescimento do quadro. O melhor critério é manter o tratamento por pelo menos 1 anos após atingir o quadro clínico e laboratorial eutireoideano, visando sempre a detecção de um eventual recidiva.

Se você está apresentando sintomas e sinais sugestivos de Doença de Graves, procure um médico, que é o profissional capacitado para diagnosticar e tratar doenças.

.

Um comentário:

direitinho disse...

Bom Dia
Mais um excelente trabalho que me levou a tentar perceber esta doença. Parece que não é muito fácil de detectar e tambem não é fácil de curar.
A nossa saúde é uma coisa preciosa que a maoiria das pessoas cuida com carinho e preocupação.
Hoje talvez seija mais fácil o médico diagnósticar e dar os tratamentos correctos.
Ainda existem muitas pessoas sem acesso a uma saúde pública gratuita e boa.
Os politicos, como ganham bem e como a sua condição o permite, podem tratar-se em Hospitais particulares com os melhores clínicos, mas o comum dos mortais não tem essa possibilidade.
Hoje os nossos políticos só tem habilidade para enganar as pessoas e esquecendo-as nas suas necessidades básicas.
Continue dando-nos o seu conhecimento que ajudará quem os ler e estudar.
Bem haja.